Conjuntivites: como evitar e quais são os tratamentos?

Olhos atraentes têm que ser saudáveis e as conjuntivites – inflamações da conjuntiva (tecido fino que cobre o olho e parte interna das pálpebras) – não ajuda.

As causas são diversas: pode ser alérgica, devido ao contacto com substâncias irritantes (como por exemplo cloro de piscina), ou por infeção por vírus, bactérias e fungos. Causa vermelhidão, comichão, sensação de areia/irritação nos olhos, lacrimejamento e às vezes pode também provocar edema nas pálpebras.

A boa notícia é que a conjuntivite raramente causa problemas graves de visão, mas se os sintomas persistirem deve consultar um oftalmologista.

As conjuntivites virais são as mais comuns. Aparecem subitamente e duram de pouco mais de uma ou duas semanas, curando-se espontaneamente. Não existe tratamento específico e o próprio organismo encarrega-se de resolver a infeção. No entanto, podes ir à farmácia e pedir um colírio para ultrapassar o desconforto mais rapidamente.

Já as conjuntivites alérgicas, bacterianas e fúngicas têm tratamentos específicos que devem ser iniciados o mais rapidamente possível. Recém nascidos e utilizadores de lentes de contacto têm maiores probabilidades de contrair a doença se devem ser sempre examinados logo que surjam os sintomas.

Como tratar ?

  • Lave regularmente as pálpebras para se manter livre de secreções
  • Lave as mãos antes e depois de aplicar colírios ou pomadas
  • Aplique compressas frias para diminuir o inchaço
  • Não use lentes de contacto
  • Troque as fronhas dos travesseiros e as toalhas de rosto diariamente
  • Evite a exposição direta à luz ou ao sol
  • Diminua a exposição a alergénios ou outros agentes potencialmente irritantes (como o fumo do tabaco)
  • Evite nadar em lagos ou piscinas

E atenção: as conjuntivites alérgicas não são contagiosas. No entanto, as infecciosas são, pelo que deve ter cuidado ao contactar com outras pessoas infetadas.

Partilhar

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin

Veja também