Infância e a importância dos óculos de sol

É um facto: a exposição ao sol pode afetar pele e visão e os especialistas defendem que usar óculos é tão importante como o boné e o protetor solar. Logo desde a infância. Não falamos de bebés, que nem sequer devem ser expostos à luz solar direta e se podem magoar com as hastes, mas de crianças a partir dos dois anos.

A radiação solar é composta por tipos diferentes de raios. Entre eles encontram-se os raios ultravioleta (UV), que correspondem a menos de 5% da energia solar. Devido às suas características físicas, estes raios não participam no espectro da luz visível e são responsáveis por efeitos nocivos que o sol pode ter sobre os humanos. A nível da pele, a radiação UV pode provocar o bronzeamento (UVA), queimadura ou mesmo predisposição para cancro (UVB).

Atenção que os óculos não substituem um poderoso aliado que é o boné! Também é preciso lembrar que há crianças com muita fotofobia, e com essas é preciso ter maior atenção.

A utilização dos óculos na infância é importante, pois assim são protegidos o cristalino (que ainda não está completamente formado) e a retina. Caso contrário, os danos vão fazer-se sentir muitos anos mais tarde, com o aparecimento de cataratas, por exemplo, como acontece atualmente à maioria dos trabalhadores que passaram a vida ao sol sem proteção adequada.

Ainda no que respeita às crianças, é preciso ter atenção às que usam óculos graduados de forma permanente: se os pais optarem por comprar também óculos de sol, nesse caso os mesmos devem ter graduação igual às lentes do dia a dia.

Partilhar

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin

Veja também